ADL do crime ao auge no Rap Nacional, conheça a trajetória do grupo

Se você atualmente acompanha o Rap Nacional, com certeza já ouviu falar do grupo “Além da Loucura” mais conhecido como ADL, o grupo lançou seu primeiro trabalho oficial no ano de 2012, diretamente de Teresópolis, no Rio de Janeiro, seus integrantes são Lord, DK e o produtor musical Índio.

ADL é um dos grupos que muito representa o underground do Rap Nacional, com diversas mensagens em suas músicas, nenhum verso do grupo é em vão, colocando suas vivências e experiências no papel e transformado em poesia, carregando uma multidão de fãs e alcançando milhões de números na internet, seja em novos trabalhos ou nas redes sociais, o grupo atualmente é o pioneiro do Favela Vive, um dos maiores projetos do Rap Nacional.

Mas nem sempre foi assim, na comunidade onde DK Lord moram, o acesso ao crime, as armas foi muito mais fácil que o acesso a cultura, tanto o Lord quanto o DK já afirmaram que traficaram e que já foram presos, a transição de sair do crime pra se dedicar totalmente a música não foi fácil.

” — Lord, Eu vivi essa parada de traficar por 5 anos, cantando Rap e traficando, até que eu fui preso, e fiquei preso 3 horas em uma cela, depois desse dia eu nunca mais quis ser preso, cheguei lá e vi que aquilo não era pra mim, ai eu parei de vender droga, se não eu seria preso de novo, tenho minha família, meu pai, minha mãe.”

” — DK, o Lord parou mas eu continuei ainda uns 2 anos, mas ai ficou meio impossível, ou eu parava ou acabava o ADL, muitas vezes tinha que parar de ensaiar pra vender droga, comecei a arrumar treta com os outros e tinha que fazer show armado, ai já ficou insuportável, ou fazia Rap ou ficava no crime, e o Lord já tinha saído da parada, então eu tava atrasando o grupo todo, certa vez fui levar minha filha na creche, nós tínhamos acabado de gravar o primeiro clipe nosso, com participação do Funkero e tava pronto pra lançar, o trabalho tava bonitão, ai eu entro na creche a polícia pega o parceiro que tava comigo, e eu dentro da creche com minha filha e fiquei naquela de os policiais me pegar com minha filha no colo, ai eu fiz uma oração a Deus e falei, Senhor se eu sair ileso dessa parada eu vou parar de traficar e vou só me dedicar ao Rap, ganhei coragem e passei com minha filha no colo assim, igual aquele filme Cidade de Deus, eu acredito em Deus, acredito que ele tinha escrito essa parada, e tava testando nossa carcaça, essa vida do crime teve começo meio e fim, graças a Deus, o povo precisava de nós vivos pra podermos gritar FAVELA VIVE!”

A grande ideia do ADL é mudar aonde eles vão com sua música, que as pessoas consigam ouvir a música, se identificar com a parada e que fechem os olhos e vejam elas no lugar deles, pois com certeza quando eles escrevem não pensam só nas próprias vivências, pensam em todos como se estivessem em seus respectivos lugares.

2018 ADL tem a agenda de shows lotada, viaja o Brasil todo graças ao Rap e a persistência de não se acomodar ao fácil, eles poderiam se entregar ao crime e nunca mais sair, mas preferiram insistir e lutar pelo sonho, ADL tem que ser visto como exemplo pra vários artistas e todos que tem um sonho, independente do lugar onde você mora ou nasceu, dificuldade existe para ser driblada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *